Busca no Blog ou na Web

21 de jan de 2010

Roteiros do Brasil!

















"Um dos mais importantes exemplos de integração harmônica entre o homem e a natureza" – eis a síntese do Mamirauá e Projetos de Desenvolvimento Sustentável, um roteiro perfeito para aqueles que desejam não apenas desvendar os mitos da maior floresta do planeta, mas, sobretudo, conhecer o que há de mais avançado em termos de sustentabilidade e gestão participativa no turismo mundial.

Referência internacional em práticas turísticas conservacionistas, o Roteiro Mamirauá e Projetos de Desenvolvimento Sustentável, no Amazonas, tem como seu ponto de partida a cidade de Manaus, uma das capitais escolhidas para sediar a Copa do Mundo de 2014. Com aproximadamente 1,5 milhão de habitantes, Manaus é uma metrópole que impressiona pelos seus contrastes: erguida em meio à floresta, a cidade encanta com a exuberância de seus parques ecológicos, aliados à riqueza histórica de sua cultura, herança do período áureo do comércio da borracha.

Em seguida, a fim de mergulhar nos mistérios da mata, o Roteiro parte em direção ao município de Tefé, a 450 quilômetros da Capital, onde está localizada a famosa Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Mamirauá. Reconhecida no mundo todo pelo seu sistema de gestão participativa – que envolve a população local no manejo e na vigilância dos recursos – a Reserva possui uma extensão superior a 1 milhão de hectares, abrigando centenas de espécies de aves, mamíferos e peixes.

Congratulada, em 2003, com o prêmio de "Melhor Destino de Ecoturismo do Mundo", pela revista americana Conde Nast, Mamirauá oferece ainda uma infinidadde de atrativos: desde passeios em canoas e trilhas para observação de sua fauna e flora, até visitas às comunidades para entender o modo de vida das populações ribeirinhas. Isso tudo sem falar na oportunidade ímpar de conhecer em detalhes este pioneiro trabalho em sustentabilidade no Brasil.

Mas o Roteiro não para por aqui: além de Mamirauá, o Amazonas conta com vários outros projetos ecológicos dignos de admiração. Em Manacapuru, por exemplo, a 78 quilômetros de Manaus – uma das cidades turísticas mais importantes da região, conhecida pela extraordinária diversidade natural e por suas tradicionais festas populares – o visitante poderá conhecer a não menos importante Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Piranha.

Com uma vegetação típica de várzea, inundada em época de cheia, a Reserva do Piranha possui, entre outros atrativos, um incrível Hotel Flutuante, onde está situada uma estação de tratamento de esgoto e um observatório de pássaros. Ali, são desenvolvidos diversos programas educativos com a comunidade – e também com os turistas –, que incluem caminhadas em trilhas interpretativas pela floresta, observação de jacarés e aves, passeios pelos lagos, e tours fotográficos.

Por fim, o Roteiro ainda oferece a possibilidade de visitação à Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Tupé, a 23 quilômetros de Manaus. Trata-se de uma área com aproximadamente 12 mil hectares, composta por matas de igapó e terra firme, com excelentes condições para banho, mergulhos e passeios de barco.


Saiba mais sobre o Roteiro: http://www.mamiraua.org.br/

Fonte: Revista Roteiros do Brasil

6 comentários:

  1. Olá, tem um mapa desse roteiro para poder visualizar melhor? Obrigado - Gustavo

    ResponderExcluir
  2. Bom exemplo para os destinos que tem o ecoturista com alvo. Vale uma visita para desfrutar desse paraiso eco e tb aprender com comunidade local. Parabéns Mamiruá. Tânia

    ResponderExcluir
  3. Acho legal que os tres roteiros do Amazonas chama atencao para o reste do estado mas o foco desses 3 roteiros no Amazonas é muito restritivo e nao permite o conhecimento de muitos outros produtos e projetos no estado...em Parintins o festival de Boi Bumba acontece somente durante 3 dias no ano, em Barcelos a pesca de Tucunare so acontece durante uma curta epoca do ano e é produto para turista somente do poder aquisitivo alto, e em Tefe a RDS Mamrirau é fruto de trabalho do ONG WWF e nao precisa de todo esse apoio e publicidade ainda. Gracas a deus o projeto 65 destinos sera focado mais sobre a regiao em geral e nao em projetos ou produtos de pequeno escopo. Sempre achei esse projeto de roteirizacao muito limitado.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Tanto Parintins quanto Barcelos são duas cidades que têm potencial de criar e gerar NOVOS produtos turísticos, como por exemplo, na baixa estação - observação de pássaros. PARINTINS - conta com a única reserva do Gavião Real (Harpia Harpideas) na Vila Amazônia e BARCELOS - com a Ilha dos Papagaios (ao enterdecer milhares deles vêm descansar em uma das 747 ilhas do Arquipélago de Mariuá). Cabe aos grupos gestores destes dois Destinos Indutores da Amazônia se posicionarem e articularem seus planos estratégicos de desenvolvimento do turismo.

    ResponderExcluir