Busca no Blog ou na Web

21 de dez de 2009

Resultados Relatório Brasil 2009

Os resultados do Relatório Brasil 2009, entregues no último dia 8, trouxeram informações valiosas acerca da evolução da atividade turística nos 65 Destinos Indutores. Principalmente porque o Estudo pôde oferecer, pela primeira vez – a partir da análise comparativa com o relatório do ano passado –, uma “série histórica de dados”, contemplando os diferentes aspectos do turismo brasileiro.

Dessa forma, o Blog dos 65 Destinos apresentará, a partir de hoje, uma síntese das principais conclusões do Estudo – relacionadas às 13 Dimensões propostas pela sua metodologia –, começando pelo quesito “Infraestrutura Geral”.

Dimensão Infraestrutura Geral

No que tange a Dimensão Infraestrutura Geral, portanto, o Estudo de Competitividade dos 65 Destinos Indutores analisou as seguintes variáveis: “capacidade de atendimento médico para o turista no destino”; “estrutura urbana nas áreas turísticas”; “fornecimento de energia”; e “serviço de proteção ao turista”.

De acordo com o Relatório, a análise dos resultados desta dimensão indica que houve uma evolução na média nacional entre os anos de 2008 e 2009. A maioria dos destinos avaliados dispõe de serviço de atendimento 24 horas e bom fornecimento de energia elétrica, salvo casos em que esse serviço sofre interrupções na alta temporada.

No entanto, as variáveis relacionadas à segurança do turista e à estrutura urbana ainda apresentam alguns problemas. A existência de grupamentos especiais ou programas de proteção ao turista nas Polícias Militar e Civil e a disponibilidade e estado de conservação do mobiliário urbano são exempos de fatores que precisam ser melhorados em muitos destinos, em especial nas não capitais.

Veja abaixo um gráfico que apresenta os resultados consolidados da Dimensão Infra-Estrutura Geral:
E, a seguir, um gráfico que apresenta os resultados desta dimensão por região:
Obs.: Os resultados das análises realizadas sobre as dimensões do estudo consideram cinco níveis de competitividade, numa escala de 0 a 100.

Primeiro Nível (0 a 20 pontos) – refere-se ao intervalo em que os destinos apresentam deficiência em relação à determinada dimensão.

Segundo Nível (21 a 40 pontos) – apesar de expor uma situação mais favorável do que o anterior, ainda evidencia condição inadequada para a competitividade de um destino.

Terceiro Nível (41 a 60 pontos) – configura situação regularmente satisfatória.

Quarto Nível (61 a 80 pontos) – revela a existência de condições adequadas para a atividade turística, considerado o padrão mínimo de qualidade.

Quinto Nível – corresponde ao melhor posicionamento que um destino pode alcançar (81 a 100 pontos).

Fonte: Relatório Brasil 2009

Um comentário:

  1. Gostaria de ver o desempenho por região. Há números por região?
    Obrigadp.

    ResponderExcluir