Busca no Blog ou na Web

10 de fev de 2010

Turismo de Eventos


Desde a antiguidade, a realização dos mais diversos tipos de eventos sempre exerceu uma função de extrema importância para o homem: qual seja, a de estreitar os relacionamentos interpessoais, ampliando os espaços de convívio público e conduzindo os indíviduos em direção a experiências compartilhadas. Em torno do ano 500 antes de Cristo, por exemplo, na região da Ásia Menor, há o registro de grandes festividades que atraíam centenas de milhares de visitantes, vindos de todas as partes do mundo para acompanhar espetáculos de mágica, acrobacia, desfiles e outras atrações.

Parece claro, portanto, que promoção de eventos é uma atividade que está inextricavelmente associada ao turismo, uma vez que constitui-se num "mix de atrativos e serviços", cuja organização inclui diversos setores da economia e da sociedade. Logo, ao atrair pessoas de outras regiões, o chamado "turismo de eventos" é capaz de impulsionar o desenvolvimento das localidades que o protagonizam, contribuindo para a qualificação de sua infra-estrutura, para o enriquecimento da cultura e, sobretudo, para a geração de empregos.

Nesse sentido, por contar com uma estrutura adequada – associada à oferta de variadas opções de lazer – o Brasil vem se destacando internacionalmente neste segmento. Em alguns estados do país, a promoção de congressos, feiras e diversas outras festividades chega a corresponder a 40% do fluxo total de turistas, comprovando que a principal vantagem deste tipo de turismo é, de fato, o seu alto potencial gerador de renda e de lucratividade.

Desde a Oktoberfest, em Blumenau, passando pela Festa da Uva, em Caxias do Sul, o Boi Bumbá, em Manaus, as festas de São João, no nordeste, até a Festa do Peão e Boiadeiro, em Barretos – muitos são os exemplos de sucesso relacionados a utilização de eventos como atrativos turísticos no Brasil. Isso tudo sem falar no carnaval – a maior festa popular do mundo – que atrai milhões de pessoas ao país todos os anos.

Afinal, organizar ou sediar eventos, hoje em dia, tornou-se uma ferramenta perfeita para a diminuição dos efeitos da sazonalidade, fomentando a visitação em diferentes épocas do ano e estabelecendo um maior equilíbrio para a demanda. Além disso, trata-se de uma das maneiras mais efetivas de os destinos promoverem a sua imagem, ou seja, de apresentarem ao mundo todas as suas qualidades, o que enseja um aumento considerável do número de visitantes no curto prazo.

5 comentários:

  1. Muito boa a reportagem.

    Os destinos que pretendem sediar eventos devem pensar que trata-se de um mercado de médio e longo prazo.

    Os investimentos na captação de eventos são altos e devem ser feitos por gente QUALIFICADA.

    Há eventos que são captados hoje para 5 ou até 10 anos.

    Sucesso!

    Ornelas.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ao blog, pois conta com 129 seguidores.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito da matéria, ficou muito bom. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Turismo de eventos movimenta muito os destinos. Oque deve ser levado em consideração é que nem todo o destino precisa de um grande evento e sim de frequência na realização de eventos, inovando e melhorando sempre a oferta que já tem!

    ResponderExcluir
  5. O Turismo de Eventos é uma ótima alternativa para desenvolver a competitividade dos 65 destinos indutores.
    Acho que o caminho é encontrar a vocação do destino para iniciar a elaboração do planejamento das ãções.
    Boa dica essa!

    ResponderExcluir